Costumas escrever conteúdos em nome da tua marca? Seja para um blog, para as redes sociais, material de marketing ou mesmo na comunicação com o teu cliente, precisas de definir o tom de voz da tua marca para que tudo seja consistente.

Tom de voz da marca

 

Porque é o tom de voz fundamental para a tua marca?

 

Se ainda não acreditas que este passo é mesmo fundamental, deixa-me dar-te três motivos que espero que te convençam.

 

1 – A tua marca não é igual a ti

Tu podes estar à frente da tua marca, podes até ser a única pessoa que trabalha a tua marca, mas ela e tu não são a mesma coisa. Mesmo que seja uma marca pessoal e que até tenha o teu nome (como a minha, que estás a ver aqui, neste blog) isso não significa que a tua marca deva ter a tua voz.

 

Isto pode parecer-te estranho mas vou já dar-te um exemplo que demonstra isto mesmo. Terminei recentemente de ler o livro Lingo, do autor, coach e fotógrafo Jeffrey Shaw. Logo no início do livro, o autor fala-nos sobre o arranque do seu negócio de fotografia, que aconteceu nos anos 80, e de como as coisas começaram muito mal para ele. Não tinha clientes e vivia numa luta diária, sem perceber o que estava a fazer mal. Spoiler: tudo mudou quando ele definiu a voz e o tom da comunicação da sua marca.

 

Ele vinha de uma família de classe média-baixa e estava a tentar estabelecer-se como um fotógrafo high-end. Não há qualquer problema com isto, a não ser o facto de ele estar a comunicar da forma que ele próprio conhecia, e totalmente diferente daquilo com que o público-alvo dele estava familiarizado. Quando percebeu que estava a fazer tudo mal, desde a linguagem que usava, passando pela imagem da marca, até à sua localização física, e decidiu adequar-se ao seu cliente ideal, tudo mudou.

 

A sua era uma marca pessoal e apenas ele trabalhava a marca e, no entanto, a sua voz pessoal não era eficiente para atrair o tipo de clientes que ele procurava. Este é apenas um exemplo, mas há muitas mais situações em que o mesmo pode acontecer.

 

2 – Consistência

É importante que o teu público reconheça a tua marca assim que publicas conteúdo novo. Felizmente, a generalidade dos empreendedores já percebeu que isto é verdade quanto ao aspeto visual e, por isso mesmo, dão a atenção devida ao seu branding e identidade gráfica.

 

Mas o tom de voz e o estilo de comunicação também fazem parte do branding e não devem ser esquecidos. Se alguém apagasse o logo da tua marca da tua comunicação, acreditas que o teu público continuaria a conseguir identificá-la? Se a resposta for não, podes ter um problema.

 

O teu público tem de encontrar consistência na tua comunicação para se sentir em casa. Só essa consistência é capaz de transmitir confiança. Isto tem de ser verdade em todas as plataformas em que comunicas: website, redes sociais, e até materiais físicos, como brochuras.

 

Deves também dar atenção a este aspeto se comunicares, por exemplo, através de vídeo, o que começa a ser cada vez mais comum. O tom de voz deve ser o mesmo que nos materiais escritos.

 

Para além disso, poderás não ser tu a única pessoa a trabalhar em conteúdos para a tua marca (se estás mesmo a começar, isto pode parecer-te impensável, mas acredita que a tua marca vai crescer!). Se tiveres uma equipa ou se a tua marca vier a crescer e precisares de contratar mais ajuda, convém que todos conheçam o estilo e o tom de voz da marca para que todos os conteúdos elaborados apresentem a tal desejada consistência.

 

3 – Cria uma ligação emocional com o teu cliente

É a consistência de que falei atrás que vai facilitar uma ligação emocional do teu público com a tua marca. Ninguém segue, acompanha ou se identifica com uma marca só porque sim. O ser humano vive de ligações emocionais e pessoais, por isso a tua marca precisa da sua própria personalidade para atrair e fidelizar o teu público ideal.

 

É então importante transmitir confiança, apresentar características e valores em comum, e falar a mesma língua que o nosso público, para que se crie uma relação emocional.

 

 

3 Aspetos importantes do tom de voz da marca

 

Mas então como podes definir o tom de voz da tua marca? Há vários aspetos que entram nesta equação. Os seguintes são os 3 pontos-chave em que deves começar a pensar.

 

1 – Definir o público da tua marca

De certeza que já ouviste esta frase, mas deixo-a aqui na mesma: se estiveres a falar para toda a gente, não estás a falar para ninguém.

 

Se o que queres, como vimos atrás, é criar uma relação emocional com o teu público, é importante que saibas quem é esse público para que possas definir melhor a tua comunicação. E não basta dizer que são mulheres dos 25 aos 34, por exemplo. Há muitas mais coisas que precisas de saber, mas só isso dava um artigo inteiro!

 

2 – Definir a personalidade da marca

Como também já referi, a tua marca precisa de ter uma personalidade bem definida. Para começares a pensar nessa personalidade, podes começar por definir:

– 3 adjetivos que caracterizem a tua marca

– 3 valores em que a tua marca acredita

– 2 ou 3 temas de que a tua marca costuma falar

 

3 – Definir o estilo da marca

O estilo da tua marca inclui a componente visual, claro, mas não se restringe apenas a isso. Diferentes componentes do seu estilo podem ser:

– imagem, não só a identidade visual como todo o feeling que a imagem da marca transmite

– linguagem

– outros aspetos práticos, muitas vezes esquecidos, que podem passar por:

  • preços
  • como é que alguém entra em contacto contigo
  • o que acontece quando um potencial cliente entra em contacto contigo

 

Definir o tom de voz da tua marca pode ser um processo penoso e não imediatamente óbvio. Para te ajudar, criei uma ficha de trabalho com algumas perguntas que te farão começar a pensar em alguns destes aspetos.

 

ficha de trabalho

 

Podes descarregar a ficha (que podes imprimir ou preencher diretamente no PDF), subscrevendo a newsletter no formulário abaixo:

 





 

E se tiveres alguma dúvida em relação a este tópico ou à ficha de trabalho podes sempre entrar em contacto comigo e tentarei ajudar.

 

Tom de voz da marca

2 thoughts on “A importância do tom de voz para a tua marca

O que tens a dizer sobre isto? Deixa um comentário