Filipa Maia

Instagram Feed

    Instabilidade de rendimentos? Estratégias para quem trabalha por conta própria

    instabilidade de rendimentos

    A instabilidade de rendimentos é uma realidade para quem trabalha por conta própria. Se, em alguns meses, pode haver um grande fluxo de dinheiro a entrar, é muito provável que, noutros, não haja quase nenhum. Quando, por exemplo, resolvemos tirar um período de férias é muito comum que os rendimentos nesse mês sejam zero, ou quase.

     

    Também podes ver o vídeo:

     

    E como é que podemos, então, lidar melhor com isto?

    Antes de mais, a primeira coisa que deves fazer é aceitares a realidade.

    É mesmo assim, quem trabalha por conta própria vive com a instabilidade de rendimentos e é suposto ser assim. Por isso, o teu objetivo não deverá ser mudar esta realidade ou encontrar uma estratégia para que a entrada de dinheiro seja igual todos os meses.

    Aliás, se a estabilidade de rendimentos é algo muito importante para ti, ter um emprego por conta de outrem será provavelmente a melhor opção ao teu dispor. Se, no entanto, queres realmente empreender, tens de aceitar a instabilidade de rendimentos e o facto de teres meses muito bons e outros quase sem rendimento.

    Mas, em termos práticos, o que podes, então, fazer para aprenderes a viver esta instabilidade de rendimentos com tranquilidade?

    1. Criar um fundo de liberdade

    A maior parte das pessoas refere-se a este fundo como “fundo de emergência”, mas eu prefiro não usar este termo, porque não quero associar este valor a uma situação de necessidade extrema.

    Prefiro ver este fundo como algo que me dê paz de espírito, algo que eu possa ter guardado para saber que, se surgir um mês em que não registo entrada de dinheiro – sobretudo se for por razões que não previ -, posso estar descansada, porque tenho ali aquele dinheiro, aquele fundo de liberdade. Isto significa que, nesse mês, vou continuar a ter liberdade de maneio, apesar de a entrada de dinheiro ser nula, ou quase.

    O valor deste fundo de liberdade dependerá sempre de ti e daquilo com que te sentires confortável. Há pessoas que gostam de ter um fundo de liberdade com um valor correspondente a 6 meses de trabalho, outras a um ano. E outras, menos do que isso. O montante terá de ser decidido por ti. O importante é que tenhas de parte um valor que te traga essa segurança.

     

    2. Paga a ti próprio um salário

    Fazeres isto vai ajudar-te a gerir melhor o fluxo de dinheiro.

    Por exemplo, num mês em que lances um novo programa de grupo ou um curso online é natural que haja uma maior entrada de dinheiro. Ora, sabendo que isto não irá voltar a acontecer no mês seguinte, não podes considerar todo o valor que recebeste com esse lançamento como o teu salário desse mês. O valor que entrou no teu negócio com esse lançamento deve, então, ser usado para pagar o teu salário nesse mês e nos meses seguintes. Usares esta estratégia vai ajudar-te a ter uma perceção de que o valor que entra em determinado mês não deve ser o dinheiro que vais efetivamente gastar nesse mês. O dinheiro que entra no teu negócio deve ser bem distribuído.

     

    3. Planear a médio prazo

    Esta estratégia vai permitir-te gerir melhor as saídas de dinheiro.

    Vamos supor que abres agora um programa de grupo que demora 3 ou 4 meses. Então, já sabes que só daqui a, pelo menos, 3 ou 4 meses é que abrirás um novo programa. Por isso, se tiveres o teu planeamento bem estruturado a médio prazo – 6 meses, pelo menos – sabes que o valor que entrar agora com este programa de grupo não vai voltar a entrar nessa proporção nos próximos 3 ou 4 meses. Ao fazeres este planeamento poderás gerir melhor as saídas de dinheiro, porque sabes quando é que podes esperar um maior fluxo de dinheiro novamente.

     

    4. Reinveste no teu próprio negócio

    Numa fase inicial do teu negócio, o investimento que te vai trazer um maior retorno é o investimento no teu negócio. Se estás a começar, significa que o teu negócio tem um potencial de crescimento gigante. Por isso, nada te vai dar maior retorno do que (re)investires no teu próprio negócio.

    Faz também esse planeamento e prevê que percentagem do teu lucro é que vais reinvestir. Seja em ferramentas, colaboradores ou formação e treinos adicionais, novos programas, novos cursos ou coaching. Este (re)investimento vai-te trazer frutos e permitir, consequentemente, aumentar a escala do teu negócio.

     

    Estas são as sugestões que tenho para ti sobre como lidar melhor com a instabilidade de rendimentos. Espero que te sejam úteis.

    Agora, gostava de saber se lidar com a instabilidade de rendimentos no teu negócio tem sido uma dificuldade para ti. De todas estas sugestões que apresentei, qual é a que faz mais sentido para ti? E já sabes qual vais implementar?

     

    Lidar com a instabilidade de rendimentos pode ser uma dificuldade para quem trabalha por conta própria. Aplica estas dicas para se tornar mais fácil.

    O que tens a dizer sobre isto? Deixa um comentário