Filipa Maia

Instagram Feed

    Bem-estar

    • Os 5 Hábitos que Mudaram a minha Vida

      hábitos que mudaram a minha vida

      Hoje trago-te um artigo e vídeo um pouco mais pessoal, pois quero partilhar contigo os 5 hábitos que adotei nos últimos anos e que sinto que mudaram a minha vida. São hábitos que estão ao alcance de qualquer um, por isso espero que retires ideias que tu própria possas implementar.

       

      Também podes ver o vídeo:

       

      Hábito #1: Journaling

      Este foi um dos hábitos que esteve na origem da grande jornada de autoconhecimento que iniciei nos últimos anos. Tenho por hábito fazer journaling mal acordo. Para mim, é assim que funciona e, por isso, com um copo de água ao meu lado, passo os primeiros 10 ou 15 minutos do meu dia a escrever.

      Quando feito desta forma, este hábito tem o poder de trazer à superfície pensamentos que desconhecíamos ter. Para além disto, por vezes, algumas horas – ou até dias – depois de ter escrito sobre determinado assunto, dou por mim a pensar sobre esse mesmo tema e a ter insights relativamente a ele. Associo isto, unicamente, ao facto de ter escrito sobre esse assunto.

      Esta prática traz muita clareza aos nossos pensamentos, mesmo que nem sempre isso aconteça exatamente no momento da escrita. Muitas vezes, o que acontece é que os nossos pensamentos andam num loop constante na nossa cabeça, numa espiral sem fim, e, por isso mesmo, não conseguimos chegar a qualquer conclusão. Só o facto de colocarmos esses pensamentos no papel já ajuda o nosso cérebro a processar a informação e desbloquear uma possível solução, sem ter de voltar àquele ciclo. Ao escrevermos sobre aquilo que nos preocupa – consciente ou inconscientemente – é quase como se o assunto ficasse resolvido. O nosso cérebro sente aquele momento de “descarga” de pensamentos como um desfecho e, subconscientemente, as conclusões acabam por surgir.

      No meu processo de journaling, começo por responder a algumas perguntas muito específicas, sobretudo focadas na gratidão e na intencionalidade, e termino com uma pergunta mais genérica, normalmente, focada no meu futuro, ou então simplesmente com escrita livre, sem qualquer pergunta ou tópico forçado.

       

      Para vos ajudar na implementação deste hábito, decidi preparar um template de journaling com o processo que costumo utilizar. Se tiveres interesse em descarregar este template, basta submeteres os teus dados aqui em baixo:


      (Ao descarregares o template, estarás a subscrever a Newsletter. Podes consultar a Política de Privacidade)

       

      Hábito #2: Meditação

      Este hábito trouxe paz e um sentimento de bem-estar enormes para a minha vida e que, acredito, não teria conseguido de outra forma. Além desta sensação de tranquilidade, trouxe-me também mais criatividade. Sinto-me mais produtiva criativamente depois de meditar.

      Tipicamente, medito logo depois do journaling. Podes fazê-lo sem ajudas, mas também podes usar uma app para te auxiliar. Facilita o processo de concentração e de relaxamento. Há muitas aplicações, mas a minha preferida é a Calm. Há uma versão gratuita para quem queira experimentar, e mesmo a versão paga não é muito cara.

      Há ainda outras atividades que são consideradas meditativas e que não passam necessariamente por estar sentado ou quieto. Nisto, como em muitas outras coisas, o importante é experimentarmos e percebermos aquilo que faz sentido para nós.

       

      Hábito #3: Calendarização

      Usar o calendário para gerir o meu tempo mudou drasticamente a minha vida. Comecei por bloquear as atividades recorrentes e que não eram flexíveis, como o horário do trabalho que tinha na altura em que dei início a este hábito. As idas ao ginásio, por exemplo, também podem ser um bom ponto de partida. Depois, vamos encaixando, nos restantes períodos, tudo o resto que queremos fazer. Desta forma, passamos de pessoas que, quando se veem perante um período livre, não sabem bem o que fazer, para pessoas que sabem exatamente o que vão fazer em cada momento do seu dia.

      Eu tenho todos os meus compromissos e todas as minhas tarefas no calendário, mesmo que essas tarefas só me digam respeito a mim. Todas as tarefas têm um período associado no meu calendário. Assim, sei, a cada momento do meu dia, exatamente o que vou estar a fazer, quando e com quem.

       

      Hábito #4: Ouvir podcasts

      Os podcasts enriqueceram a minha vida de uma forma que não teria sido possível com outro tipo de conteúdos, pois permitem-me aproveitar os momentos em que estou a fazer outras tarefas, seja a conduzir ou a cozinhar, para adquirir conhecimentos. Às vezes, ouço podcasts com conteúdo denso, quer sejam sobre marketing ou desenvolvimento pessoal, mas esta aquisição de conhecimentos não tem de ser profunda, nem densa. Podemos, simplesmente, aproveitar os podcasts para ouvir algo divertido, como um podcast de comédia.

      O facto de consumir tantos podcasts foi uma das razões por que criei o meu próprio podcast. Se ainda não ouviste, convido-te a fazê-lo.

       

      Hábito #5: Investir em mim própria

      Este último hábito sobre o qual vos quero falar é extremamente importante. Investirmos na nossa formação e no nosso crescimento pode ser verdadeiramente transformador. Todas as formações que fiz nos últimos anos, desde que decidi mudar drasticamente de carreira (sobretudo na área do marketing e do coaching), mudaram um pouco a minha vida. Isto aconteceu, por um lado, pelos conteúdos que adquiri nestes cursos e que me permitem, naturalmente, fazer um trabalho cada vez melhor ao aplicá-los quer no meu trabalho com outras pessoas, quer comigo própria. Mas, por outro lado, estas formações também foram relevantes pelas pessoas que me trouxeram, como alguns colegas que assim chegaram à minha vida e que, hoje, fazem parte do meu dia a dia.

      Outras formas de investirmos em nós é, por exemplo, através da frequência de cursos online para desenvolvermos competências em determinadas áreas, através de workshops que, mesmo não dando um contributo direto para a nossa vida profissional, nos enriquecem enquanto ser humano. No meu caso, o evento do ano passado do Blogging for a Cause e os workshops de Escrita Criativa da Rita da Nova são um bom exemplo disto.

      Os retiros e os livros, de desenvolvimento pessoal ou técnicos, também fazem parte deste investimento em mim própria.

      Além disto, outro investimento que faço em mim mesma e que tem sido determinante nesta minha transformação no último ano, é ter ao meu lado a minha coach, que me acompanha há 9 meses e com quem fiz recentemente a certificação em coaching transformacional.

      Investirmos em nós próprios é dizermos a nós mesmos e ao mundo que somos importantes, que merecemos cuidar de nós. É um hábito que muda o nosso mindset para nos autorizarmos a apostar em nós. É, sem dúvida, um hábito que vou manter.

       

      Tens algum destes hábitos no teu dia a dia? Qual deles te despertou mais curiosidade? Partilha comigo a tua perspetiva sobre estes hábitos. Gostaria muito de saber qual é o teu top 5 dos hábitos mais importantes na tua vida.

       

      Neste artigo e vídeo, com registo um pouco mais pessoal, partilho os 5 hábitos que mudaram a minha vida nos últimos anos.

    • 7 Hábitos de bem-estar para empreendedores criativos

      Bem-estar para empreendedores criativos

       

      Quando estás a tentar arrancar com um negócio novo, é fácil deixar de dar atenção a algumas necessidades básicas, talvez exatamente porque elas parecem tudo menos básicas quando há tantas coisas que o teu negócio precisa que faças.

       

      Por outro lado, quando já estás numa fase mais avançada do negócio, seria de esperar que já tivesses conseguido encontrar o teu equilíbrio, mas nem sempre isso acontece. Por vezes tens tanto trabalho – e convenhamos, uma carteira cheia de clientes é tudo o que sempre quiseste, por isso não nos vamos queixar, certo? – que fica ainda mais difícil conseguir arranjar tempo para o teu próprio bem-estar.

       

      Eu compreendo. Também eu já fui culpada disto. Nem sempre é fácil discernir as prioridades quando aquilo que mais precisamos é de clientes e de ver dinheiro a entrar na conta. E não sei quantas vezes já me aconteceu postar imagens de livros ou falar de caminhadas nas minhas redes sociais e receber comentários de empreendedores que dizem “deste lado não há tempo para isso”. E eu fico feliz que tenham tanto que fazer, é tão bom sinal!

       

      O problema é que depois acontecem coisas como burn-out ou bloqueios de criatividade. E aí quem é que vai fazer avançar os vossos negócios ou tratar do trabalho para os vossos clientes? Pois… Dá que pensar, não dá?

       

      Quanto a mim, existem hábitos básicos de bem-estar que ninguém deve deixar cair. Deixo-te aqui ficar os sete que considero mais importantes.

       

      Também podes ver o vídeo:

       

       

      1 – Ritual matinal

      A forma como começas o teu dia determina todo o resto do teu dia. Já vários autores, empreendedores e outros famosos falaram disto (alguns exemplos são Tony Robbins, Tim Ferriss ou Barack Obama) e eu concordo plenamente. De manhã cedo é o período ideal para fazeres aquelas coisas que só te dizem respeito a ti. Vê o teu ritual matinal como um espaço só teu, só para ti.

       

      Seja para fazeres a tua meditação, o teu exercício físico, para leres ou fazeres journaling, ou apenas para reveres as tarefas que tens de atacar nesse dia e organizares a tua vida. A última coisa que deves fazer é começar o dia numa correria e sem alguma intenção bem definida.

       

      Podes ter um ritual matinal de 15 minutos ou de duas horas, tudo vai depender de ti, daquilo que pretendes fazer e da tua intenção. Mas não deixes de estabelecer um que funcione para ti e começa a arrancar o teu dia com intenção.

       

      2 – Faz uma coisa que adores (fora do trabalho)

      Ou seja, tem um hobbie! Ter algo que te deixa mesmo animado e que não está nada relacionado com o teu trabalho é mesmo essencial. Pode até ser que o teu negócio tenha começado com um hobbie. Mas se agora é um negócio, precisas de um novo hobbie. Um que seja mesmo só um hobbie.

       

      Como criativo que és, precisas de desligar a cabeça. Precisas de algo que te permita desfrutar e passar um bocado divertido sem a pressão de ter de originar um rendimento. Pode ser o que quiseres, desde desporto, até à escrita, passando por voluntariado, ou simplesmente ler ou colorir aqueles livros de pintar para adultos. Tudo serve, desde que te divirtas e não esteja relacionado com trabalho!

       

      3 – Muda de ambiente de vez em quando

      Pode ser uma viagem a outra cidade ou mesmo outro país. Ou pode apenas ser o facto de ires trabalhar uma tarde para um sítio diferente, um café, por exemplo. A ideia é ver coisas novas, ver ambientes e pessoas diferentes.

       

      Muitas vezes, sentimo-nos a passar por um momento de menor criatividade e, quando damos conta, reparamos que estamos há dias a trabalhar a partir de casa (ou do escritório), só saímos daquele ambiente para ir ao ginásio ou fazer as compras da semana, vemos sempre as mesmas pessoas e ainda ficamos admirados.

       

      Muitas pessoas pensam que a criatividade é apenas a criação de ideias novas. Mas não se restringe a isso – há até quem defenda que já não há ideias novas. A criatividade é, isso sim, a associação de duas ou mais ideias pré-existentes de uma forma nova e única. Por isso, se queres ser criativo, tem de haver um input de novas ideias na tua vida e nem sempre é suficiente receber esse input via online. Também precisas de ver novos ambientes offline.

       

      Se tiveres um negócio que funciona estritamente online, então tens ainda mais sorte e podes até viajar para outra cidade e continuar a trabalhar a partir de lá. Mas mesmo que isso não seja possível para ti, não deixes de visitar sítios novos na tua própria cidade. Vais ver que só te vai fazer bem!

       

      4 – Celebra todas as tuas vitórias

      És um empreendedor, de certeza que já conseguiste coisas fantásticas pelo caminho. Quando foi a última vez que paraste para celebrar uma das tuas vitórias? Ou quando tens uma vitória partes logo para o objetivo seguinte sem sequer te congratulares?

       

      Eu percebo que os nossos objetivos estão sempre a avançar. Mal alcançamos um e já estamos a pensar no seguinte. Eu própria já fui culpada disso, e por vezes ainda sou. Mas é muito importante celebrar os objetivos atingidos, mesmo que face ao objetivo seguinte possam parecer pequenos.

       

      A questão é que precisamente por estabelecermos sempre objetivos maiores do que os anteriores, provavelmente nunca vamos atingir uma linha da meta. Vamos estar sempre a tentar alcançar algo mais. Quanto a mim, não há mal nenhum que assim seja. Mas se aceitarmos isso, significa que nunca vamos celebrar o alcance do último objetivo. Por isso mesmo, temos de ir celebrando pelo caminho, ou corremos o risco de deixarmos de nos divertir com o nosso trabalho.

       

      Por isso da próxima vez que atingires uma meta ou um objetivo, por mais pequenos que sejam, não te esqueças de celebrar. Faz algo especial por ti!

       

      5 – Mexe o teu corpo

      O que tens feito para tratar do teu corpo? Ou andas tão ocupado que nem tens tempo para isso? Claro que tens mais trabalho para fazer do que alguma vez imaginaste que fosse possível, mas de certeza que há partes do teu trabalho que podem esperar para que consigas tratar de ti.

       

      Com os estilos de vida altamente sedentários que temos nos dias de hoje, principalmente se a maior parte do teu trabalho for feita ao computador, precisamos mesmo de contrabalançar todas as horas que passamos sentados com algum movimento.

       

      Não ignores que o teu corpo precisa de atenção! É o único que tens para o resto da vida, enquanto que negócios podes ter muitos!

       

      6 – Medita

      Voltamos ao tema de que a tua mente precisa de pausas frequentes.

       

      Se nunca experimentaste meditar ou se és daquelas pessoas que acham que são demasiado irrequietas para conseguirem meditar, peço-te que tentes apenas durante uns dias, por 5 minutos.

       

      No meu caso, a meditação ajuda a conseguir maiores níveis de concentração e também sinto que estimula a minha criatividade. Consigo pensar com mais clareza e ajuda-me a viver de uma forma mais pausada.

       

      Há diversas apps que podes experimentar para começares, como por exemplo a Calm, a Headspace (ambas com free trials disponíveis) ou a Insight Timer (totalmente gratuita). Começa com 5 minutos, todos os dias, durante uma semana e depois vê como te sentes – e não acredito que não tenhas 5 minutos (se não tiveres, talvez esteja na hora de repensares alguns aspetos da tua vida).

       

      7 – Alimenta-te bem

      A frase “tu és o que comes” é mesmo verdade (mesmo, fisicamente, verdade). Mas para além do teu corpo físico, também a tua mente é afetada pelos alimentos que ingeres (basta pensares no que acontece no dia a seguir a ingerires demasiado álcool e percebes que isto é bem verdade).

       

      A nossa alimentação pode afetar a nossa clareza de pensamento, o nosso cansaço, a nossa sonolência e nossa capacidade de problem-solving. Para além disso, também pode ter impacto na nossa irritabilidade, ansiedade e até mesmo na nossa fome.

       

      Tenta alimentar-te, pelo menos na maior parte das vezes, de forma saudável, escolhendo essencialmente alimentos não processados, sem adição de açúcar e que te façam sentir no teu melhor. Vai estando atento ao teu estado diário e tenta correlacionar com o que andas a comer, de forma a tirares algumas pistas em relação ao que funciona melhor para ti.

       

       

      Há algum destes hábitos que esteja em falta na tua vida? Se forem vários aqueles que não tens o hábito de praticar, pode ser que neste momento te estejas a sentir algo assoberbado. Não há razão para isso. Escolhe apenas um e trabalha apenas nesse até sentires que já o fazes sem esforço. Depois passa para o seguinte.

       

      A implementação de hábitos não é algo que aconteça de um momento para o outro, por isso vai com calma e começa aos pouquinhos. Vais ver que com o passar do tempo, e se te mantiveres atento e empenhado, o teu bem-estar vai aumentar significativamente.

       

      Tens dado atenção ao teu bem-estar? Enquanto empreendedor criativo, há hábitos que deves assegurar para conseguires manter a máquina a funcionar (já agora, a máquina és tu!)