Filipa Maia

Instagram Feed

    Dezembro 14, 2018

    Daily Archives

    • Principais erros nas redes sociais

      erros nas redes sociais

      Nesta altura do ano, muitas pessoas estão a planear mudanças para o seu trabalho nas redes sociais a partir do próximo ano. Estamos mesmo quase a chegar a 2019 e, por isso, é a altura ideal para revermos aquilo que, profissionalmente, estamos a fazer nas redes sociais e a estratégia que estamos a usar. É por isso que hoje vos trago os erros que vejo mais nas redes sociais, para que possas começar a trabalhar em corrigi-los. Eu própria já cometi alguns destes erros, por isso não te preocupes se também estiveres a fazê-los, vamos sempre a tempo de corrigir.

      Vê também o vídeo:

      1 – Não responder a comentários

      Todos os comentários devem ter uma resposta. A dada altura, quando já alcançámos uma elevada interação por parte do nosso público, isto pode ser difícil. Mas, quando isto acontece e não conseguimos mesmo responder a todos os comentários, a minha recomendação é que contratem um community manager para vos ajudar nesta tarefa. Afinal, se a interação já é muito elevada, é natural que estejam a gerar rendimento com o vosso negócio, por isso valerá a pena fazer este investimento. 

      2 – Publicações automáticas

      Fazer publicações automáticas e cruzadas entre redes sociais diferentes é outro erro muito comum. De facto, não há grande problema em colocar os mesmos conteúdos em duas redes sociais diferentes, mas não devemos automatizar este procedimento. Refiro-me, por exemplo, a fazer uma publicação no Instagram e a partilhar, automaticamente, também no Facebook. Isto é um erro porque, em primeiro lugar, são redes sociais com particularidades diferentes: os tags são diferentes, no Instagram usam-se muitas hashtags, no Facebook não, por exemplo. Depois, em termos de algoritmo também saímos prejudicados, pois o Facebook percebe que aquela publicação veio do Instagram, que não é nativa do Facebook, e não vai potenciar tanto o alcance dessa mesma publicação. Por último, porque as pessoas percebem que aquela publicação não pertence ali e nem vão perder tempo a ler.

      A solução é adaptar, publicando nativamente no Facebook, mesmo que mantendo a mesma imagem e aproximadamente o mesmo texto. O próprio Facebook já nos facilita esta tarefa, com a barra de imagens do Instagram que surge no topo da nossa página, por isso, é só clicarmos na imagem que queremos publicar e, assim, fazemos a publicação de forma nativa.

      3 – Não usar devidamente cada rede

      Cada rede tem o seu próprio tipo de conteúdos, ou seja, é muito importante usarmos os conteúdos para os quais cada rede social foi criada. O Instagram, por exemplo, foi criado para se dar destaque ao visual, por isso é fundamental publicarmos imagens com grande qualidade. No Facebook e no Twitter isto já não é assim tão importante.

      Exemplos de outros usos indevidos:

      – Colocar vídeos muito grandes nas stories do Instagram. Não foi para isso que as stories foram criadas e a verdade é que ninguém aguenta estar a ver minutos de gravação em blocos de 15 segundos. Se o quiserem fazer, há outras formas mais adequadas, dependendo do tipo de conteúdos: IGTV, Facebok, Youtube.

      – Usar a mesma imagem para o Facebook e para o Pinterest. O Pinterest beneficia imagens verticais, portanto, devemos criar uma imagem específica para esta rede social.

      – Usar o Youtube para publicar um podcast. O Youtube é para conteúdo visual. Pode ser usado como ferramenta de partilha secundária para um podcast, mas este deve ficar alojado numa plataforma própria, como o iTunes, por exemplo.

      4 – Respostas a comentários negativos

      Numa perspetiva de negócio, não devemos criar conteúdos para dar resposta pública aos comentários e às mensagens negativas que nos chegam.

      Todos vamos receber comentários e mensagens negativas, e o que temos a fazer é responder à pessoa em causa em privado, para tentar perceber se há algum fundamento para aquele comentário, ou então simplesmente ignorar.

      Estarmos a criar conteúdo para responder a estas situações só mostra que nos estamos a deixar afetar pelas críticas negativas, sejam elas de feedback construtivo ou mesmo de haters (porque eles existem).

      Por isso, antes de fazermos o que quer que seja relativamente a uma situação deste género, devemos pensar naquilo que está alinhado com os valores da nossa marca e com aquilo que ela representa e agir sempre em função disso.

      5 – Dar erros ortográficos e gramaticais

      Fazer uma publicação com erros dá uma péssima imagem à nossa marca, por isso é necessário termos muita atenção a este ponto. Para evitar que isto aconteça, podemos usar um corretor ortográfico, ler várias vezes os textos, pedir ajuda a alguém ou, até, investir mesmo na contratação de um revisor. Uma estratégia que podemos usar para identificar erros é alterarmos a formatação do texto antes da última leitura. Mudar o tipo de letra vai permitir-nos destacar mais facilmente eventuais erros. Outra estratégia é lermos o texto em voz alta. Ao fazê-lo, apercebemo-nos da falta de fluidez, por exemplo.

      6 – Nunca aparecer

      Eu própria já cometi este erro, mas a realidade é que as pessoas querem fazer negócios com pessoas e não com marcas ou logotipos. Só vamos criar uma ligação emocional com as pessoas que nos seguem se houver uma ligação emocional com a marca e ninguém cria uma ligação emocional com um logotipo. Por isso, aparecer é muito importante, mesmo que não seja fácil. Há muitas pessoas que têm dificuldade com isso – eu percebo, porque já estive nessa situação -, mas o segredo passa por começarmos a aparecer aos poucos e depois, à medida que vamos ficando mais confortáveis, vamos aumentando a exposição. Se, progressivamente, usarmos esta estratégia, com o tempo, esse desconforto vai desaparecer.

      7 – A marca é o herói

      As publicações devem ser sobre o cliente e não só sobre a marca. O cliente é que deve ser o herói das nossas publicações. Marcas que apenas falem de si e que se posicionem no lugar do herói não vão conseguir criar a tal ligação emocional com os seus seguidores. Os nossos clientes é que passam pelas transformações, eles é que evoluem. É disso que devemos falar, acrescentando, naturalmente, todas as ferramentas e estratégias de que dispomos para os ajudar nesse processo.

      Tomarmos consciência destes erros permite-nos dar o primeiro passo para os corrigirmos e, mesmo que ainda cometam algum deles nas vossas redes sociais,estão sempre a tempo de melhorar.

      E, já agora, em que rede social estão a pensar apostar mais em 2019?

      Partilho os principais erros que vejo nas redes sociais, a tempo de todos começarmos a trabalhar na sua correção em 2019.